Cursos Suplementares

CURSOS SUPLEMENTARES

Introdução à Topologia Lacaniana

  • Coordenação: Doris Rangel Diogo; Elisa Werlang; Marcia Zucchi e Viviane de Lamare.
  • Horário: quartas-feiras às 21 horas.
  • Início: 21 de agosto, seis aulas com frequência quinzenal.

Neste curso iremos apresentar algumas estruturas topológicas de superfície e dos nós, destacando seu uso na clínica. Para isso utilizaremos algumas vinhetas clínicas extraídas do Núcleo de Topologia e da literatura psicanalítica.

Bibliografia básica:

  • JIMENEZ, S. No cinema com Lacan: o que os filmes nos ensinam sobre os conceitos e a topologia lacaniana. 2ª ed., Rio de Janeiro: Ponteio, 2014, Parte II – Fundamentação teórica, pp. 107-235. 
  • LACAN, J. (1961-1962) O Seminário, livro 9: A Identificação. Inédito, lições de 14/3/1962 e 28/3/1962.
  • ________.  (1972-1973) O Seminário, livro 20: Mais ainda. Rio de Janeiro: JZE, 1985, cap. X, pp. 97-112.
  • ________. (1975-1976) O Seminário, livro 23: O sinthoma. Rio de Janeiro: JZE, 2007, cap. VI, pp. 88-98 e cap. X, pp. 139-151.

Bibliografia ampliada:

  • Miller, J-A. A topologia no ensino de Lacan. In Matemas I, Rio de Janeiro: JZE, 1996, pp. 73-89.
  • Jimenez, S. Gozo e nó borromeano. In Latusa nº 7, Rio de Janeiro: EBP-Rio, 2002, pp. 139-144.

Transtornos ou Variações de Humor?
  • Coordenação: Angela Folly Negreiros
  • Horário: 17:30 às 19:00 horas
  • Início: 14 de agosto
  • Frequência: quinzenal         

Ao “todos deprimidos” do fim do século XX podemos dizer que seguiu-se o “todos bipolares“ do momento atual? Poderíamos hoje falar de uma clinica da estabilização de humor? O que seria isto na clinica sob tranferência na psicanálise? A proposta de nossas aulas será a de examinarmos fundamentos freudianos e lacanianos para as variações de humor, na neurose ou na psicose, pensando algo diferente da lista de transtornos do DSM, mais afastados da idéia de um deficit, mais próximos de como cada um pode construir um lugar no mundo das palavras e dos corpos. Freqüentemente embaraçados com os atos, alguns com risco de passagem ao ato.

Bibliografia:

  • FREUD, S. (1915/1969) Luto e Melancolia. In: Edição Brasileira das Obras Standard das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, vol 14.
  • Klotz, J-P. Psicose ordinária e sintomas modernos. Em: Latusa 14, Sintomas e Semblantes na vida e na analise, Escola Brasileira de Psicanálise-Rio de Janeiro, novembro de 2009, p.5
  • Lacan, J. (1962-1963/2005) O Seminário livro 10, A Angustia (1962-1963) .Rio de Janeiro :Jorge Zahar Editor.
  • Lambotte, M-C. O Discurso Melancólico. Rio de Janeiro: Companhia de Freud. 1997.  Laurent, E. O que a clínica das psicoses tem a ensinar à clínica das neuroses. Revista Curinga n°13 EBP/MG. Setembro, 1999.
  • Miller, J-A. Efeito Retorno A Psicose Ordinária. Em: Opção Lacaniana on Line nova serie. Ano 1, numero 3, http;//www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_3.
  • Miller J-A e outros, Variaciones Del Humor, Buenos Aires, Instituto Clinico de Buenos Aires: Paidos, 2015.

Interpretação ao pé da letra

  • Coordenação: Ana Lucia Lutterbach Holck
  • Co-coordenação: Ana Tereza Groisman
  • Colaboradoras: Bruna Guaraná, Clarisse Boechat, Elisa Werlang, Patricia Paterson, Renata Estrella e Thereza De Felice.
  • Horário: 21:00
  • Início: 28/08/19
  • Frequência: quinzenal

 Com o advento do inconsciente, Freud inaugura uma prática de interpretação inédita, que visava à decifração do sentido dos sintomas. Vamos, com Lacan, reler essa descoberta freudiana e investigar a dimensão de real que ele introduz nessa perspectiva. O que seria uma prática de interpretação orientada pelo real? Freud e Lacan afirmam que o artista precede o psicanalista. Pode a arte nos ajudar a alcançar o que seria essa prática? O curso é guiado por essas duas questões, que se tangenciam e foram extraídas do livro Ao pé da letra: leituras e escrituras na clínica psicanalítica. Este livro foi escrito e organizado pelos participantes do Núcleo do ICP-RJ, Práticas da Letra, coordenado atualmente por Ana Lúcia Lutterbach Holck. Buscaremos apontar como o encontro de Freud e Lacan com a face de gozo do sintoma, seu aspecto real, produziu efeitos sobre a interpretação.

Encontros:

  • A interpretação pelo sentido (28/08 – Bruna Guaraná e Renata Estrella)

Bibliografia:

  • HOLCK, Ana Lucia Lutterbach. (2014). “Notas sobre a pesquisa”. Em: HOLCK, Ana Lucia Lutterbach; GROVA, Tatiane [Orgs.]. Ao pé da letra: leituras e escrituras na clínica psicanalítica.Rio de Janeiro: Subversos Editora, pp. 27-43.

Leitura Complementar:

  • FREUD, Sigmund. (1915-1916). “Conferência XVII: O sentido dos sintomas”. Em: Conferências Introdutórias Sobre Psicanálise. ESB, Vol IV. Rio de Janeiro, Imago, 1969.
  • Sintoma é gozo: qual lugar para a interpretação? (11/09 – Patricia Paterson e Elisa Werlang)

Bibliografia:

  • VIEIRA, Marcus André. (2014). “Sobre a voz e a escrita” [transcrição]. Em: HOLCK, Ana Lucia Lutterbach; GROVA, Tatiane [Orgs.]. Ao pé da letra: leituras e escrituras na clínica psicanalítica.Rio de Janeiro: Subversos Editora, pp. 183-209.

Leitura Complementar:

  • FREUD, Sigmund. (1920). Além do princípio do prazer. Em: Além do princípio do prazer, psicologia de grupo e outros trabalhos (1920-1922). ESB, Vol. XVIII. Rio de Janeiro: Imago, 1977. p. 12-85.
  • VIEIRA, Marcus André. (2018). Mordidavida (voz). Em: ___. A escrita do silêncio: voz e letra em uma análise. Rio de Janeiro: Subversos, p.75-82.
  • A interpretação e o recurso à arte (25/09 – Clarisse Boechat e Thereza De Felice)

Bibliografia:

  • HOLCK, Ana Lucia Lutterbach; Sobre o método e o objeto (2008). Em: HOLCK, Ana Lucia Lutterbach; GROVA, Tatiane [Orgs.]. Ao pé da letra: leituras e escrituras na clínica psicanalítica. Rio de Janeiro: Subversos Editora, pp. 183-209.

Leitura Complementar:

  • MILLER, Jacques-Alain. (2012). O escrito na fala. Em: Opção Lacaniana Online, ano 3, número 8, julho de 2012. Disponível em:
  • http://www.opcaolacaniana.com.br/pdf/numero_8/O_escrito_na_fala.pdf
  • Enlaces e amarrações na clínica (09/10 – Elisa Werlang e Thereza De Felice)

Bibliografia:

  • LAIA, Sérgio. “Joyce e a modulação do objeto a” [transcrição]. Em: HOLCK, Ana Lucia Lutterbach; GROVA, Tatiane [Orgs.]. Ao pé da letra: leituras e escrituras na clínica psicanalítica. Rio de Janeiro: Subversos Editora, pp. 211-247.
A leitura complementar do último encontro será acrescentada de acordo com o andamento das aulas anteriores.

O que os autistas nos ensinam hoje?

  • Coordenação:
    • Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros
    • Paula Borsoi
    • Anna Luiza Almeida
    • Maria Antunes
    • Francisca Menta
  • Frequência: quinzenal
  • Horário: quarta-feira às 21:00
  • Início: 23/10

Este curso pretende transmitir, o que podemos extrair como ensinamento da clínica com sujeitos autistas, feita no um a um, sobre o impacto do significante no corpo.

Como cada um inventa seu modo singular para lidar com o traumatismo do efeito deste impacto.

Partiremos de casos da literatura para investigar conceitos que possam nos orientar neste trabalho clínico.

Esperamos que através de aulas vivas, possamos debater com os participantes, sobre o modo particular do sujeito autista fazer laço com o outro.

PROGRAMA:

  • 23/10 -O traumatismo da língua
  • 6/11 -Modalidade de defesa artística
  • 13/11- O autista a trabalho e a construção do circuito pulsional
  • 27/11- A transferência na clínica do autismo e a produção do sintoma

Bibliografia:

  • Lacan, J. (1953-54) O Seminário livro 1, Os Escritos técnicos de Freud, capítulo 8, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.
  • Lefort, R. e R; Tradução Ana Lydia Santiago e Cristina Vidigal. (2017) A distinção do Autismo, capítulo 1, Belo Horizonte: Relicário Edições.
  • Laurent, É. (2014) A batalha do Autismo: da clínica à política. Capítulos 2, 4 e 5. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.