Curso Fundamental

CURSO FUNDAMENTAL

 Turma 2017

A Significação do Falo: Sobre o falo, suas designações e desdobramentos

  • Coordenação: Sandra Viola
  • Horário: 19 horas
  • Início: 07 de agosto

 Nosso propósito neste curso é, a partir do texto A significação do falo, nos Escritos, acompanhar a formulação do conceito – feito por Lacan lendo Freud, – e seus desdobramentos.

Tanto Freud quanto Lacan trabalham este conceito por mais de um viés e sustentam as consequências advindas.

Se Freud inicia suas postulações acentuando o falo como pênis, rapidamente amplia seu entendimento, dando ao falo a noção de função, ou de símbolo.

Em seu percurso teórico e clínico, Lacan dará ao falo um estatuto de imaginário de simbólico e de real.

Recorreremos a alguns textos da AMP para abordamos o percurso lacaniano através destes três registros.

O curso será ministrado em oito aulas quinzenais.

Bibliografia:
  • FREUD, S. (1909/1969) Análise de uma fobia de um menino de cinco anos. In: Edição Standard das Obras Completas de Sigmund Freud, (ESB) Rio de Janeiro: Imago, volume X.
  • LACAN, J. Escritos, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.
  • LACAN, J. (1956-57/1995) O Seminário, livro 4, A relação de objeto, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.
  • LACAN, J. (1972-1973/1985). O Seminário, livro 20, Mais Ainda, Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Sexo e sexuação

  • Coordenação: Angela Bernardes
  • Horário: 19 horas
  • Início: 14 de agosto

  “O não há relação sexual não implica que não haja relação com o sexo”

Jacques Lacan

Para Lacan, o que “está escrito no que Freud escreve” é a impossibilidade da relação sexual. O axioma lacaniano “Não existe a relação sexual” não nega a diferença sexual. Ao contrário, situa uma dissimetria da ordem do impossível de simbolizar.

O falo, seja como significante ou como função lógica, permite a localização inconsciente de uma posição sexuada, mas não inscreve o feminino. Isso Freud já havia observado em seus escritos sobre a sexualidade feminina. Talvez os poetas pudessem nos instruir sobre esse assunto, imaginou Freud ao reconhecer um insondável.

O neologismo lacaniano “sexuação” permite situar a questão da partilha sexual a partir da relação ao gozo e não em termos de identidade sexual. Nos anos 70, Lacan começa a se servir dos quantificadores da lógica proposicional para escrever dois polos na relação do ser falante com o sexo. Pretendemos nesse curso fazer um exercício de leitura da tabela da sexuação que se encontra na aula 7 do Seminário 20: mais, ainda.

Bibliografia:

  • LACAN, J. (1972-73) O seminário livro 20: mais, ainda. Rio, JZE, 1985.
  • LACAN, J. (1973) “O aturdito”, Outros Escritos, Rio, JZE, 2003.
  • FAPOL, Lacan XXI, Revista Fapol online, Vol 6, out. 2018.

Turma 2018

O Homem dos Lobos

  • Coordenação: Stella Jimenez
  • Horário: 19 horas
  • Início: 07 agosto

 Leitura e discussão do texto de Freud, com especial interesse no sonho, no trauma e na querela dos diagnósticos.

Bibliografia:

  • FREUD, S, História de uma neurose infantil,  In: Obras completas de S Freud, Rio de Janeiro: Ed. Imago, 1976, vol. XVII, p.19-153.
  • GARDINEL, Muriel , El Hombre de los lobos por el hombre de los lobos,  Buenos  Aires: Ed..  Nueva Visión, 1979.
  • MACK BRUNSWICK, Ruth. Suplemento a La História de uma neurose infantil . In : El hombre de los lobos por el hombre de los lobos,  Buenos Aires: Ed. Nueva Visión, 1979, P. 179-221.
  • LACAN, J. Resposta ao comentário de J. Hyppolite, In: Escritos. Rio de janeiro: J. Zahar ed., 1998, p. 383-402.
  • LACAN, J., ( 1964 /1979) O seminário, livro 11, Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise, Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 1979, p. 56 e p. 71
  • MILLER, J. A. (1988-89a) ”L’orientation lacanienne: L’homme aux loups” (1eira parte). La Cause Freudienne. Nouvelle Revue de Psychanalyse. Paris: Navarin, nº 72, p.79-132, 2009.
  • MILLER, J.A. (1988-89b) “L’orientation lacanienne: L’homme aux loups” (2ds parte), in La Cause Freudienne. Nouvelle Revue de Psychanalyse. Paris: Navarin, n. 73, p.64-117, 2010.

Direção do Tratamento e Princípios de seu Poder

  • Coordenação: Ruth Helena Pinto Cohen
  • Horario: 19 horas
  • Início: 14 de agosto

 O presente curso versará sobre o Relatório do Colóquio de Royaumont, realizado por Lacan em 1958, que no seu primeiro ensino indica os alicerces que orientam a ruptura com algumas correntes pós-freudianas e, mais que a análise crítica dessas teorias, introduz de forma didática, os fundamentos de sua prática clínica.  Seguiremos passo a passo o texto e buscaremos pinçar, nele, questões cruciais tais como: a presença do analista na direção da cura, os efeitos do ato analítico, a importância da fala do analisante, a irrupção do desejo no discurso, o fim de uma análise, o tempo lógico, dentre outras construções.

 Cronograma:

  • 04/08- Aula I- Quem analisa hoje?
  • 28/08-Aula II- Qual o lugar da interpretação?
  • 11/09-Aula III- Transferência
  • 25/09 -Aula IV- Como agir com seu ser?
  • 23/10-Aula V- Tomando o desejo ao pé da letra.
  • 06/11-VI- Texto complementar:
  • Leitura do Primeiro Seminário do livro: “A lógica na da Direção da Cura” de Jacques Alain Miller.  
  • 20/11-VII- Apresentação de seminário pelos alunos
  • 04/12-VIII- Apresentação de seminário pelos alunos

Bibliografia

  • LACAN, J. “A Direção do Tratamento e os Princípios de seu Poder”. Em: Escritos, (1958) Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998, p. 591.
  • MILLER, J-A. “Primeiro Seminário”. Em: A Lógica na Direção da Cura, Seção Minas, EBP, 1995, p.27-54.

Turma 2019

O SINTOMA

  • Coordenação: Sarita Gelbert
  • Horário: 19 horas
  • Início: 7 de agosto

Desde as primeiras formulações da psicanálise, Freud reconheceu no Sintoma uma formação do inconsciente com dupla função: realização substitutiva do desejo recalcado e um sentido, ou um texto correspondente a esse mesmo desejo recalcado.

Lacan releu Freud e, avançando em sua conceituação, manteve a dupla função: gozo e sentido, mas foi além ao chegar à formulação de Sinthoma. Esse momento corresponde a uma virada clínica e epistêmica.

Utilizaremos para esse curso os textos de Freud, Lacan e Miller.

Bibliografia:

  • FREUD, S. Conferência XVII  “O Sentido dos Sintomas” in: Conferências Introdutórias, Obras Completas, Imago Ed. 1988.
  • FREUD, S. Conferência XXIII “Os Caminhos da Formação dos Sintomas” in: Conferências Introdutórias, Obras Completas, Imago Ed. 1988.
  • FREUD, S. “Inibição, Sintoma e Angústia” in: Obras Completas, Imago Ed. 1988.
  • LACAN, J. “Conferência de Genebra sobre Sintoma” in: Opção Lacaniana, nr. 23. São Paulo: Eólia, 1998.
  • MILLER, J-A. “Biologia Lacaniana e Acontecimento de Corpo” in: Opção Lacaniana, nr. 41. São Paulo: Eólia, 1998.
  • MILLER, J-A. “O Seminário Sobre os Caminhos da Formação dos Sintomas” in: Opção Lacaniana, nr.60. São Paulo: Eólia, 1998.

Caso Hans

  • Coordenação: Jeanne-Marie de Leers
  • Horário: 19 horas
  • Início: 14 de agosto

Neste curso propomos a leitura do Caso Hans, “Análise de uma fobia em um menino de cinco anos”, publicado por Freud em 1909. As elaborações de Lacan sobre o caso no Seminário livro 4 (1956/57) irão nos orientar neste percurso. Destacaremos os conceitos de “Desejo da Mãe”, ”Nome do Pai”, falo imaginário, falo simbólico e a questão do sintoma fóbico como suplência.

Bibliografia:

  • FREUD. S. Análise de uma fobia em um menino  de cinco anos. In: Obras Completas de Sigmund Freud (ESB), Rio de Janeiro: Imago Ed., volume X.
  • LACAN, J. (1956-1957/ 1995)  O Seminário livro 4: A relação de objeto. Jorge Zahar Editor

ATIVIDADE REGULAR OFERECIDA PARA AS TRÊS TURMAS DO ICP-RJ

PONTO DE ENCONTRO

  • Coordenação: Maria Antunes Tavares e Mariana Pucci

 Propomos, nesse novo semestre, criar um ponto de encontro a partir da leitura do texto de Lacan: A carta roubada. Iremos exercitar essa leitura juntos, passo a passo, e cada participante poderá extrair perguntas e reflexões ao longo dos encontros, fazendo existir o singular na troca coletiva e contingente desse espaço. Será uma oficina de leitura na qual buscaremos acolher e nos servir daquilo que o texto de Lacan suscita em cada um. Sejam bem-vindos!

  • Encontros quinzenais, quinta-feira, às 19 horas.
  • Data de início: 8 de agosto

Referência bibliográfica:

  • LACAN, J.  O seminário sobre “A carta roubada” In___ Escritos. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar, 1998.

COMUNICADO

A partir de maio de 2019 terá início uma nova atividade, “PSICANÁ­LISE SEM MARGEM”: uma série de debates mensais em torno de te­mas da atualidade, coordenada por Ana Lúcia Lutterbach Holck e Isabel Duarte, com a participação de convidados. Divulgaremos detalhes em breve.