Apresentação

APRESENTAÇÃO

O ENSINO DO ICP-RJ EM 2019

 Do ICP não se deve esperar uma modalidade de ensino linear, uniforme e estandartizado. Não se trata de manejar o saber psicanalítico como um saber acumulado e concluído. A psicanálise, desde a sua origem, se voltou para manifestações díspares, incongruentes com o discurso do mestre. Podemos admitir que aquilo que rompe o sentido estabelecido continua impulsionando a psicanálise e aqueles que dela fizeram sua causa. Do lado de quem ensina, ou de quem estuda a psicanálise, se coloca em jogo a posição analisante. A investigação teórica e clínica da psicanálise, portanto, implica necessariamente a relação de cada um com o inconsciente, não só o inconsciente como saber, enigma a ser decifrado, mas o inconsciente em sua vertente real, mantendo uma dimensão sempre opaca ao sujeito. Trata-se de uma relação com o saber irredutível a textos e aulas, um saber mais próximo à incidência do que Lacan nomeou de objeto e, com efeito, enlaçado à própria experiência analítica. Nessa direção, reconhecemos que o ensino da psicanálise requer que cada um, movido por um querer saber, contribua com seu grão de areia, na leitura de textos e na elaboração de questões que se colocam a trabalho nos diferentes espaços do ICP.

Os cursos do ICP se servem da orientação de Freud e Lacan. Cada um em seu tempo se conectou à época em que viveram, interpretando-a e indo além quando anteciparam efeitos que recolhemos e verificamos nos dias de hoje.  É da trilha aberta por Freud e por Lacan que nos serviremos para interpretar a atualidade da nossa época, o que dela é rejeitado e retorna sob diferentes manifestações, tanto no plano da clínica quanto no plano coletivo.

A partir da diversidade de temas e de textos percorridos nos três anos de curso, o propósito é colocar em andamento um trabalho que, apoiado na transferência, enlace a clínica, a teoria e a política da psicanálise ao vivo da experiência.

Sigamos na rota dessa aventura!

Glória Maron
Coordenadora da Comissão de Ensino